As 5 perguntas mais frequentes sobre redes de terras

A rede de terras é um passo fundamental de toda a instalação de um sistema elétrico. Da sua boa execução depende o bom funcionamento e a segurança de equipamentos e pessoas, já que protege de diferenças de potencial que podem ser perigosas em ambos os casos. O porquê da sua vital importância, como desenvolver um projeto de forma correta, ou que norma se deve seguir para instalar a rede de terra de um para-raios são algumas das principais questões que respondemos nas Aplicaciones tecnológicas.

Uma correta ligação à terra proporciona às correntes elétricas um caminho de baixa impedância, que protege as instalações, evitando que estas correntes encontrem rotas não desejadas que poderiam provocar danos tanto a pessoas como aos equipamentos eletrónicos ligados a essa rede. A rede de terra também permite reduzir o ruído eletromagnético, o que melhora a qualidade do sinal e a precisão nas medições dos sensores.

O sistema de rede de terras também deve estabelecer um potencial de referência equipotencializando o sistema, o que evita as tensões variáveis que podem gerar sobretensões permanentes com danos nos equipamentos e até incêndios elétricos.

Nos sistemas de proteção contra o raio (SPCR) é a rede de terras que dispersa a corrente, o que converte a sua correta instalação num passo vital para conseguir um sistema seguro para estruturas e pessoas.

Desde os seus fundamentos mais básicos até O que é necessário para fazer um projeto de rede de terra, estas são as cinco perguntas mais frequentes a que respondem os especialistas de Aplicaciones Tecnológicas sobre as redes de terra.

  1. Porque é importante ter um sistema de rede de terras seguro?

Uma rede de terras é uma ligação elétrica direta, sem elementos de corte ou proteção, das partes metálicas de uma instalação com a terra, através de um ou vários elétrodos enterrados, com a finalidade de:

  • Garantia que entre as instalações e as imediações das edificações que as contêm não existem diferenças de potencial perigosas.
  • Permitir a passagem à terra das correntes de defeito ou as descargas de origem atmosférica.

Uma rede de terra tem que ser desenhada e executada de forma adequada já que ao ser enterrada é muito difícil de manter no tempo.

As uniões mais duráveis são feitas com soldadura exotérmica APLIWELD® Secure+.

  1. De que elementos preciso para fazer um sistema de rede de terras?

Os materiais que se utilizam numa rede de terra variam ligeiramente segundo a resistividade do terreno.

  • Elétrodos para rede de terra

A rede de terra geral deve-se fazer mediante um anel ou malha de condutor nu colocado horizontalmente e enterrado, complementado por elétrodos verticais para diminuir a resistência.

  • Caixas em instalações de rede de terras

As caixas de visita situam-se orientadas para o exterior do edifício. A sua função é facilitar a realização dos registos de inspeções e comprovações.

A conexão da caixa de registo da rede de terra realiza-se no fundo da escavação, mediante um dispositivo que permita a desconexão e deve levar o símbolo de terra.

  •  Uniões na rede de terra: permanentes e mecânicas

Os componentes de conexão devem assegurar a continuidade entre o condutor de baixada e a rede de terra. Recomenda-se realizar as conexões mediante soldadura exotérmica APLIWELD®, já que, ao contrário das conexões mecânicas, as uniões soldadas não se degradam e são uma solução permanente que não se deteriora com a passagem do tempo.

  •  Melhoradores de condutividade

Os melhoradores de condutividade utilizam-se em terrenos com alta resistência, onde conseguir um valor baixo de resistência de terra pode ser impossível mesmo instalando múltiplos elétrodos, para conseguir reter a humidade do terreno e transportar iões que reduzam significativamente a resistência de maneira durável e sem corrosão.

  1. O que é necessário para fazer um projeto de rede de terra?

Para poder fazer um projeto básico de rede de terra geral são necessários os seguintes dados:

Para o cálculo do material necessário:

  • Dimensões do terreno onde se pode executar a rede de terra.
  • Estudo geoelétrico com a resistividade do terreno por estratos.
  • Resistência da rede de terra objetivo.

Para o cálculo de tensões de passo e contacto:

  • Máxima corrente de curto-circuito.
  • Duração máxima da corrente de curto-circuito ou quanto tempo demoram as proteções a atuar.
  • Tipo de solo à superfície e espessura.
  1. Que particularidade têm as redes de terras dos para-raios?

A corrente do raio, sendo de impulso, é descarregada para a terra de uma forma diferente da corrente em frequência industrial. Estas são as características especiais de acordo com os regulamentos de proteção contra o raio:

  • Deve ser feita uma rede de terra por cada condutor de baixada com pelo menos dois elétrodos por cada rede de terra.
  • A resistência da rede de terra do para-raios deve ser menor que 10 ohms, medida de forma independente de qualquer elemento de natureza condutora.
  • Evitar as redes de terra de grande longitude (>20m) para assegurar uma impedância o mais baixa possível.
  • Devem estar sempre orientadas para o exterior do edifício.
  1. Deve-se unir a terra geral com a rede de terra do para-raios?

Sim. Em todas as normas de proteção contra o raio é recomendada a união da rede de terra geral, com a rede de terra do para-raios. Assim evitam-se diferenças de potencial, bem como graves problemas de acoplamento resistivo e derivações entre terras.

Existem, no entanto, situações em que não se pode realizar esta união diretamente, uma vez que poderia originar problemas de corrosão ou de compatibilidade eletromagnética (ruído). Nestes casos o mais adequado é ligar as terras com um protetor tipo disruptor como o AT-050K: ATVIA TT.

Em condições normais, este protetor mantem as terras isoladas entre si, evitando problemas de corrosão ou ruídos. Quando se produz uma descarga e o potencial se eleva numa das terras, o disruptor atua, unindo diretamente as redes de terra e evitando assim que a corrente passe através dos diversos equipamentos e instalações internas.

Criando o sistema de rede de terras adequado

A eleição dos materiais para conseguir um bom sistema de terras é crucial para realizar uma instalação com êxito. Aplicaciones Tecnológicas conta com uma gama completa de produtos que facilitam a realização de uma rede de terras eficaz mediante a redução da resistência do terreno, a utilização de condutores com boa resistência à corrosão e secções adequadas para transportar a corrente.

Para realizar ligações entre condutores, especialmente em redes de terra, é recomendado utilizar soldaduras aluminotérmicas, também conhecidas como exotérmicas, porque as uniões moleculares garantem a eficácia e durabilidade. APLIWELD® Secure+ é a soldadura aluminotérmica mais eficaz e segura do mercado, com o inovador formato em pastilhas, iniciadores eletrónicos e disparo à distância.

Aplicaciones Tecnológicas dispõe também de um serviço profissional de estudos geoelétricos destinados a empresas de engenharia e arquitectura, utilizando tecnologia de medição avançada com GEOELECTRIC EARTHING METER. As medições são efectuadas in-situ através de uma rede de parceiros locais, e são processadas e tratadas utilizando a Inteligência Artificial. Os nossos peritos geram o relatório profissional no prazo de 24 horas.

Se deseja saber mais sobre como realizar um sistema de rede de terras, entre em contacto connosco através deste link.

Pode também assistir a qualquer um dos nossos webinars sobre redes de terra, disponíveis no link.