Sistema de rede de terra geral: instalação de rede de terras

O sistema de rede de terra geral liga as diferentes partes de uma instalação elétrica com a superfície condutora à terra para garantir a segurança e a funcionalidade.

A terra física é uma instalação elétrica que equipotencializa todas as partes metálicas para que não existam diferenças de potencial entre elas. Realiza-se com a finalidade de garantir a segurança das pessoas equipamentos perante defeitos nas próprias instalações.

Segundo o objetivo para o que se desenha o sistema de rede de terra, existem dois tipos de rede de terra:

  • Rede de terras de proteção ou massas: define-se como as partes metálicas da instalação que não estão em tensão normalmente, mas que podem ficar em consequência de avarias, acidentes, descargas atmosféricas ou sobretensões.
  • Rede de terra de serviço ou neutro: define-se como o retorno da corrente na instalação e tem como missão fixar um potencial de referência.

Como instalar uma rede de terra num sistema elétrico

Segundo o sistema elétrico que requer a instalação da rede de terra geral, deverão seguir-se determinados passos e padrões. Em todos os casos, a rede de terra deve-se realizar antes da betonagem, já que se se planifica posteriormente haverá que procurar soluções mais complicadas e dispendiosas.

Instalação da rede de terra em sistemas de baixa tensão

O objetivo deste sistema de rede de terra é garantir que, se uma pessoa entra em contacto com um objeto metálico que devido a uma avaria elétrica tenha determinada tensão, esta não exceda o limite seguro, geralmente estabelecido num máximo de 50V.

Elementos da rede de terra

elementos da rede de terra

Os materiais que se utilizam numa rede de terra variam ligeiramente segundo a resistividade do terreno.

Seguidamente descrevem-se as partes de uma rede de terra:

Elétrodos para rede de terra

A rede de terra geral deve-se fazer mediante um anel ou malha de condutor nu colocado horizontalmente e enterrado, complementado por elétrodos verticais para diminuir a resistência.

Existem diferentes tipos de elétrodos segundo as suas características e funcionalidades:

  • Os piquet’s, também conhecidos como hastes de aterramento, são elétrodos de aço com recobrimento eletrolítico de cobre que se utilizam nas soluções de tipo standard em terrenos de baixa resistência. Os piquet’s são uma barra de aço cobreado e que se recomenda o uso de um recobrimento de cobre superior a 250 microns. Normalmente os piquet’s são de 2 metros e podem unir-se para conseguir comprimentos maiores. Também existem piquet’s de cobre maciço, aço galvanizado e aço inoxidável.

Nestes casos, utilizam-se elétrodos dinâmicos APLIROD©, formado por um tubo oco de cobre cheio com uma mistura de compostos iónicos que melhorem a resistividade do terreno ao, entre 30-80% ao redor do elétrodo.

  • Elétrodos dinâmicos utilizam-se em solos de alta resistência, por exemplo, quando o solo é de rocha e não serve de solução standard.
  • As placas recomendam-se para redes de terra em terrenos pedregosos.Geralmente são de cobre ou aço galvanizado.
  • Os elétrodos de grafite caracterizam-se por serem bons condutores e inertes perante os agentes químicos, por isso estão indicados em terrenos com alta resistividade. É conveniente instalá-los em poços profundos, de forma que o elétrodo fique pelo menos dois metros abaixo da superfície.

Caixas em instalações de rede de terras

As caixas de visita situam-se orientadas para o exterior do edifício. A sua função é facilitar a realização dos registos de inspeções e comprovações.

A conexão da caixa de registo da rede de terra realiza-se no fundo da escavação, mediante um dispositivo que permita a desconexão e deve levar o símbolo de terra.

Uniões na rede de terra: permanentes e mecânicas

Os componentes de conexão devem assegurar a continuidade entre o condutor de baixada e a rede de terra. Recomenda-se realizar as conexões mediante soldadura exotérmica APLIWELD©, já que, ao contrário das conexões mecânicas, as uniões soldadas não se degradam e são uma solução permanente que não se deteriora com a passagem do tempo.

Uniões na rede de terra soldadura exotérmica Apliweld

Melhoradores de condutividade

Os melhoradores de condutividade utilizam-se em terrenos com alta resistência, onde conseguir um valor baixo de resistência de terra pode ser impossível mesmo instalando múltiplos elétrodos, para conseguir reter a humidade do terreno e transportar iões que reduzam significativamente a resistência de maneira durável e sem corrosão.

Rede de terras para para-raios

Os para-raios têm de ter a sua própria rede de terra, independente da rede de terra geral, mas unida a esta mediante disruptor de terras para evitar problemas de corrosão e reduzir as sobretensões.

Num sistema de proteção contra o raio cada condutor de baixada deve ter uma rede de terra, constituída pelos elementos condutores em contacto com o terreno, capazes de dispersar a corrente do raio neste.

A rede de terra do para-raios deve ter um valor de resistência exclusiva inferior e 10 ohms. Como o raio é uma corrente impulsional, é importante que a impedância da rede de terra seja baixa.

No que respeita aos elétrodos utilizados, não se recomenda empregar apenas um de grande comprimento. Recomenda-se elétrodos profundos se a resistência da superfície for elevada e os estratos inferiores do terreno forem húmidos.

Cálculos de rede de terra

Existem vários métodos para realizar o cálculo de terras, conforme as características da instalação aplica-se um método ou o outro.

Segundo o resultado do cálculo de terras, estabelecem-se as características da instalação da rede de terra, como o número de piquet’s necessários. Procura-se estabelecer uma resistência de terra determinada que faça com que as tensões suportadas por uma pessoa estejam dentro dos valores cotados.

Aplicaciones Tecnológicas oferece o serviço de engenharia para calculo das redes de terras apoiando-se nas normas internacionais. Para mais informação sobre este e outros serviços, contacte-nos.