iot-internet-of-things-tecnologia-proteccao-contra-raio-redes-ligacao-terra

Historia da IoT: O que é e como mudou os sistemas de ligação à terra e de proteção contra o raio?

Internet das Coisas (IoT) é uma tecnologia que permite aos objetos ligarem-se à Internet e comunicarem uns com os outros. A IoT permitiu o desenvolvimento de novas aplicações e serviços, tais como a automação doméstica e fabril, a localização de veículos e a monitorização de pacientes em tempo real. A sua aplicação em sistemas de redes de terra e de proteção contra o raio levou a uma maior eficiência ao fornecer conhecimento remoto e em tempo real do estado dos bens conectados.

O termo ” Internet of Things ” refere-se ao agrupamento e interligação de dispositivos e objetos através de uma rede (privada ou pública, como a Internet), onde todos podem estar visíveis e interagir. As origens da IoT remontam aos anos 80, quando foi desenvolvido o conceito de “computação ubíqua”, que se refere à ideia de que a tecnologia deve estar disponível em todo o lado e a todo o momento. No entanto, foi só com o advento da tecnologia sem fios e o aumento da conectividade à Internet, no início do século XXI, que a IoT, tal como a conhecemos hoje, começou a tomar forma.

As origens da IoT

O primeiro objeto foi, no início dos anos 80, uma máquina de refrigerantes no departamento de informática da Carnegie Mellon University¹.

Esta máquina, que era muito popular devido ao seu baixo preço, estava ligada a um servidor que permitia saber quantas garrafas sobravam e há quanto tempo estavam a arrefecer através da introdução de um comando. Com esta solução, as pessoas do departamento poderia poupar uma viagem até à máquina se esta não estivesse carregada ou tivesse sido carregada recentemente, uma vez que os refrigerantes ainda não estavam frios.

Embora esta máquina de refrigerantes tenha evoluído nos anos seguintes, o primeiro objeto ligado ao que conhecemos hoje como a Internet, foi uma torradeira em 1990. A torradeira estava ligada à Internet através de uma rede TCP/IP e era controlada por uma Base de Informação de Gestão de Protocolo de Gestão de Rede Simples (SNMP MIB). Tinha um interruptor para ligar e desligar e a intensidade das torradas era controlada pelo tempo que permanecia ligado.

As origens do termo “Internet of Things” são contestadas. Por um lado, é datada de um discurso proferido em 1985 por Peter T. Lewis², presidente e cofundador da primeira empresa de telemóveis nos Estados Unidos, em Washington, D.C. Outra versão data a primeira utilização do termo para uma apresentação corporativa de 1999 por Kevin Ashton³, um investigador especializado em tecnologia RFID (Radio Frequency Identification) no MIT (Massachusetts Institute of Technology).

No século XXI, à medida que a tecnologia avançou, tornou-se possível ligar uma vasta gama de dispositivos, desde aparelhos domésticos e dispositivos de segurança a automóveis e equipamento médico. Atualmente, estima-se que existam centenas de milhões de dispositivos ligados à Internet, e espera-se que este número atinja os milhares de milhões nos próximos anos.

A IoT permitiu o desenvolvimento de novas aplicações e serviços, tais como automação doméstica e fabril, localização de veículos e monitorização de pacientes em tempo real, entre outras utilizações. Também levou a novas oportunidades de negócio e ao aumento da eficiência em vários setores.

Analisamos agora como esta tecnologia tem permitido a evolução dos sistemas de proteção contra raios e de ligação à terra para a chegada da Indústria 4.0.

IoT nos sistemas de proteção contra o raio e sistemas de ligação à terra

Todos os produtos e serviços das famílias SMART EARTHING e SMART LIGHTNING de Aplicaciones Tecnológicas S.A. estão equipados com tecnologia Internet of Things

(IoT) para fornecer informações a todo o momento tanto sobre o estado da instalação ou estrutura que monitorizam como sobre o estado do equipamento. Além disso, graças a esta tecnologia, os equipamentos recebem melhorias e atualizações automáticas.

Desta forma, o para-raios inteligente DAT CONTROLER ® REMOTE comunica diariamente através de IoT os dados da instalação e do estado do para-raios. A informação está sempre à disposição do utilizador e possibilita a monitorização e manutenção preventiva e corretiva da instalação.

A solução SMART EARTHING MONITORING SYSTEM monitoriza continuamente os sistemas de rede de terras para evitar situações críticas, e o sistema de deteção de tempestades ATSTORM®, graças à sua tecnologia de duplo sensor, avisa tanto da aproximação como do desenvolvimento de tempestades e emite alertas a tempo de proteger o equipamento e as pessoas.

O SMART LIGHTNING LOGGER e WIND TURBINE SMART LIGHTNING LOGGER (especificamente para pás de turbinas eólicas no setor da energia eólica) estão também equipados com esta tecnologia. Ambos os contadores monitorizam continuamente a atividade no condutor de baixada do para-raios, fornecendo para cada descarga atmosférica informações sobre a sua amplitude, polaridade, duração, carga, energia específica, data e hora.

Se desejar saber mais sobre tecnologia inteligente aplicada a sistemas de ligação à terra e de proteção contra o raio, pode contactar-nos através deste link.

Pode também assistir a qualquer uma das nossas formações online gratuitas sobre este e outros temas na nossa página de webinars.

Referências

1. The “Only” Coke Machine on the Internet

2. Sharma, Chetan. “Correcting the IoT History

3. Ashton, Kevin. ‘That ‘Internet of Things’ Thing’ RFID Journal (Junio de 2009)

Noticias relacionadas

Parques fotovoltaicos: segurança contra tempestades elétricas no setor da energia solar

Proteção preventiva perante trovoadas elétricas durante o lançamento de veículos espaciais

Aplicaciones Tecnológicas S.A. e ISQ assinam protocolo para melhorar a formação obrigatória em proteção contra o raio para os profissionais de Segurança Contra Incêndios em Edifícios

COMECE A DIGITAR E PRESSIONE ENTER PARA PESQUISAR