Mitos e curiosidades sobre o raio

O raio continua a ser um dos fenómenos mais extraordinários da natureza. Na antiguidade foi interpretado com forma de fogo. Pode ser encontrado com representações em simbolismos na maioria das culturas antigas, existem até representações mitológicas do seu poder destrutivo.

Apesar do passar do tempo e dos avanços científicos, as crenças erradas sobre este fenómeno continuam a estar muito presentes hoje em dia em grande parte da população mundial.

O raio, tal como conhecemos, é um dos fenómenos mais destrutivos da natureza. Durante uma tempestade elétrica, produz-se uma grande quantidade de descargas atmosféricas que podem alcançar centenas de kiloamperes. Estas descargas supõe um grande perigo para as pessoas, animais, edifícios e inclusive equipamentos eletrónicos, produzindo graves consequências que poderiam ser evitadas.

A proteção do impacto de um raio torna-se complicada quando se confia em medidas populares de proteção, baseadas em mitos. Alguns dele, podem comprometer a sua vida, por isso os especialistas em prevenção e proteção perante a queda de raios, da Aplicaciones Tecnológicas, querem desmontar alguns dos mitos mais conhecidos.

Mitos sobre os raios

Os raios caem sobre a terra

Existe a crença geral de que existe apenas um tipo de raio, aqueles que descarregam sobre a terra, mas a realidade é bem distinta. Existem quatro tipo de raios segundo os pontos entre os que se produzem. Segundo esta classificação encontramos:

  • Os raios Nuvem- Nuvem são os que vão de uma nuvem à outra.
  • Os raios Intra-Nuvem são os existentes dentro de uma mesma nuvem entre zonas com carga distinta.
  • Os raios Nuvem-Ar são descargas elétricas até à atmosfera.
  • Os raios Nuvem-Terra são os que se produzem a partir de uma nuvem até ao solo. Este é o tipo de raio do qual nos devemos proteger, pelo perigo que representam ao impactar contra os seres ou estruturas que se encontram sobre a terra.

Um raio nunca cai duas vezes no mesmo lugar

Provavelmente um dos mitos mais conhecidos, apesar da sua autenticidade duvidosa. Os raios ou relâmpagos impactam frequentemente no mesmo lugar. A razão é simples, os raios impactam especialmente em locais ou objetos elevados, pontiagudos e isolados. Um claro exemplo que desmente este mito é o emblemático edifício Empire State.

Atualmente, o Empire State é o quinto arranha-céus mais alto de Nova York, a seguir ao One World Trade Center, o 111 West 57th Street, o 432 Park Avenue e o 30 Hudson Yards.  Estes tipos de edifícios foram construídos e pensados para funcionarem como uma para-raios natural. Segundo a página web oficial do edifício, o Empire State recebe uma média de 23 descargas anuais.

MITOS E CURIOSIDADES SOBRE O RAIO

Se não está a chover ou não vemos nuvens, estamos a salvo dos raios

Este mito pode ser um dos mais perigosos. A crença de que os raios só caem quando existe uma tempestade visível é falsa. Os raios podem chegar a deslocar-se quilómetros e podemos ser um alvo fácil sem saber.

O recorde do raio mais longo registado até à data aconteceu em Oklahoma em 2007, viajando horizontalmente a surpreendente distância de 321 quilómetros. Este evento demonstra que as distâncias não deveriam ser um fator a ter em conta, por isso Aplicaciones Tecnológicas oferece soluções tecnologicamente avançadas e seguras na área da proteção contra o raio a governos, associações, empresas, autónomos e particulares.

No interior da nossa casa estamos totalmente seguros

No interior da nossa casa estamos mais seguros das intempéries, mesmo assim devemos extremar precauções se existir perigo de queda de raio. As precauções que devemos aplicar estando dentro de casa serão diferentes, mas não menos importantes.

É aconselhável evitar:

  • Todos os objetos que possam conduzir eletricidade
  • Telefones que não sejam sem fios ou moveis.
  • Tocar em aparelhos elétricos ou cabos.

    • Desligue os seus aparelhos para uma maior precaução.
  • Fechar portas/ janelas para evitar a corrente de ar
  • Sair para a varanda e aproximar-se da janela.

Se cai um raio e está ao ar livre, encoste-se ao solo

Este mito pode representar um grande perigo para todas as pessoas que não saibam o que fazer perante a possibilidade de queda de raios ao ar livre. São muitas as zonas onde as pessoas se podem encontrar em perigo quando há uma tempestade elétrica: a fazer trekking ou a passear pela montanha, nadar no mar, na piscina, numa partida de futebol, num parque…se nestas situações cair um raio, nunca devemos baixar-nos no solo ou esconder por baixo de uma árvore. Se nos baixarmos no solo existem maiores riscos de lesões, mesmo que o raio não impacte diretamente na pessoa, quando descarrega, a corrente dissipa-se na terra e dá origem a lesões indiretas. O melhor nestas situações é procurar um refúgio seguro onde se possa resguardar.

Não se deve tocar numa pessoa atingida por um raio

Este é sem dúvida o mito mais perigoso de todos. Quando uma pessoa é atingida por um raio não armazena eletricidade no seu corpo. É totalmente seguro tocar na vítima e sobretudo é necessário, necessitará de primeiros socorros e poderá estar a salvar vidas ou a evitar lesões para a vida toda.

MITOS E CURIOSIDADES SOBRE O RAIO da Aplicaciones Tecnológicas

Curiosidades sobre raios

Qual o raio de maior duração da história?

A Organização Mundial de Meteorologia, OMM, estabeleceu o recorde mundial de duração mais longa de um só raio em Provenza-Alpes-Costa Azul, no sudoeste de França, durou até 7.74 segundos no ano de 2012.

Que temperatura podem chegar a alcançar os raios?

Os raios podem chegar a alcançar temperaturas de até 30.000ºC, para melhor entendimento, é cinco vezes mais quente que a superfície do sol.

Quantos raios caiem sobre a terra em apenas um dia?

Sobre a terra caiem cerca de 20 milhões de raios por dia, uma média de 200 raios por segundo.

Pode cair um raio numa tempestade de neve?

Só entre 1961 e 1990 nos Estados Unidos registaram-se 229 trovoadas de neve que descarregaram raios. Estes tipos de trovoadas são frequentes no final do inverno e no início da primavera por causa da temperatura e dos ventos fortes na alta atmosfera.

Quais são as principais lesões que podem causar os raios?

Pensamos que se formos atingidos diretamente por um raio, morremos, mas isto não é de todo certo. Apenas 30% das pessoas alcançadas por um raio morreram no ato por paragem cardíaca.  Nas restantes ocasiões o raio provoca graves lesões como queimaduras, traumatismos, problemas neurológicos, lesões musculares, cutâneas ou oculares.  

Quando existe maior probabilidade de ser atingido por um raio?

Existem épocas em que a probabilidade de ser atingido por um raio é superior. Costuma coincidir com as estações em que as tempestades são mais frequentes, como o verão e outono. Segundo a zona geográfica em que se encontra, será numa das duas.

Para saber mais detalhes interessantes sobre raios e trovoadas e, sobre tudo, como se proteger deste fenómeno natural, clique para subscrever a nossa newsletter.