Nova norma internacional de dispositivos de proteção contra sobretensões temporais ou permanentes (IEC 63052)

No passado mês de agosto de 2019, foi publicada a nova norma internacional, a IEC 63052:2019, que regula os requisitos de qualidade, segurança e compatibilidade eletromagnética dos dispositivos de proteção contra sobretensões permanentes ou temporais, também conhecido pelo seu acrónimo em inglês POP (Power Overvoltage Protectors).

 

Esta publicação amplia a norma europeia já existente EN 50550:2011, modificando alguns pontos como a classificação dos protetores, mas mantendo os princípios de funcionamento e a curva de disparo:

Curva de disparo:

Nova norma internacional de dispositivos de proteção contra sobretensões temporais ou permanentes (IEC 63052)

A nova norma distingue agora 4 tipos de protetores, segundo estão construídos:

  1. Protetor (POP) montado pelo fabricante com o dispositivo de proteção principal (MPD). Por exemplo, os IGA TEST.
  2. Protetor (POP) com elemento de disparo (RU), que se acopla por meios mecânicos, durante a instalação, ao dispositivo de proteção principal (MPD).
  3. Protetor (POP) ligado eletricamente durante a sua instalação ao elemento de disparo (RU), que por sua vez está ligado ao dispositivo de proteção principal (MPD). Por exemplo, os KIT ATCONTROL.
  4. Protetor (POP) que inclui internamente um elemento de corte. Por exemplo, os ATCONTROL COMPACT.

Nova norma internacional de dispositivos de proteção contra sobretensões temporais ou permanentes (IEC 63052)

Classificação dos protetores

As sobretensões permanentes ou temporais são aumentos de tensão acima dos 10% do valor nominal da rede de distribuição que se mantém durante ciclos ou de forma permanente. Normalmente são produzidos por uma ligação defeituosa do neutro ou por uma falha no centro de transformação.

Os protetores contra sobretensões permanentes são dispositivos que ajudam a manter as instalações e os equipamentos a salvo, desligando a tempo a alimentação elétrica mediante um dispositivo de corte.

Se não cumprem os tempos marcados na curva de disparo podem originar problemas nas instalações, como:

  • Disparos intempestivos: o protetor corta antes do tempo mínimo de resposta, prejudicando a operação.
  • Disparos tardios: o corte acontece em cima do tempo máximo de funcionamento e pode produzir danos irreparáveis nos equipamentos.

Aplicaciones Tecnológicas S.A fabrica protetores autoconfiguráveis que gerem o disparo do elemento de corte de forma micro controlada, adaptando corretamente os tempos em função da tensão detetada para cumprir com a norma. Os nossos produtos são ensaiados em laboratórios independentes, com as especificações das normas de aplicação e oferecem todas as garantias de uma empresa líder.

Esta funcionalidade de autoconfiguração é característica dos nossos protetores da série ATCONTROL, o que nos permite universalizar os nossos protetores, tornando válido o mesmo equipamento para o mercado europeu, americano ou qualquer outro local.

Se necessitar de mais informação ou caso tenha alguma dúvida sobre os nossos produtos, pode contactar o nosso departamento de suporte técnico neste link.