O que devemos exigir de um protetor de sobretensões permanentes?

As sobretensões permanentes são aumentos de tensão acima dos 10% do valor nominal da rede de distribuição que se mantêm durante vários ciclos ou de forma permanente. Normalmente produzem-se por uma conexão defeituosa do neutro ou por uma falha no centro de transformação.

Os protetores contra sobretensões permanentes são dispositivos que ajudam a manter as instalações a salvo, desconectando a tempo a alimentação elétrica mediante um dispositivo de corte.

Há vários anos que existe regulamentação e normas particulares das Comunidades Autónomas que regulam ou prescrevem a utilização deste tipo de protetores em instalações de baixa tensão. Adicionalmente existe uma norma, a UNE-EN 50550, que regula as características deste tipo de equipamentos denominada POP (Power frequency Overvoltage Protector), para garantir a qualidade dos mesmos.

A UNE-EN 50550 especifica uma série de requerimentos para os fabricantes, entre os quais se destaca o cumprimento da curva de disparo.

Atualmente, alguns fabricantes oferecem como protetores contra sobretensões permanentes bobines de emissão e equipamentos não temporizados ou com temporizadores distintas das marcadas pela UNE-EN 50550, que podem produzir problemas nas instalações, tais como:

·         Disparos intempestivos: O protetor corta antes do tempo mínimo de não resposta, resultando no incómodo operacional.

·         Disparos tardios: O corte produz-se em cima do tempo máximo de funcionamento e pode produzir danos irreparáveis nos equipamentos.


Aplicaciones Tecnológicas fabrica equipamentos inteligentes que gerem o disparo do elemento de corte de forma micro controlada, adaptando corretamente os tempos à norma. Os nossos produtos são ensaiados em laboratórios independentes com as especificações das normas de aplicação e oferecem todas as garantias de uma empresa líder.

+Info