Proteção externa combinada: A solução mais segura

É um sistema de proteção com pontas e malhas. Na cobertura são expostos condutores formando uma rede para que a corrente do raio se distribua de uniformemente.

O sistema de captação está, também, ligado à terra por múltiplos caminhos, realizando ligações equipotenciais mantendo as distâncias de separação.

Pode ser melhorado?

– O raio pode impactar dentro da rede, ou seja no edifício.

– Os contornos da estrutura não ficam protegidos.

– Qualquer elemento que sobressaia do sistema de captação não está protegido, incluindo pessoas, elementos periódicos, antenas ou sensores ligados a equipamentos sensíveis, etc.

– Qualquer modificação na estrutura ou nos elementos sobre a estrutura podem invalidar o sistema de proteção contra o raio.

Os para-raios com dispositivo de ionização aproveitam as características físicas do raio para criar as melhores condições e converterem-se no ponto preferencial do impacto do raio.

Devem ser instalados, sempre, pelo menos 2 metros a cima de qualquer outro elemento dentro da zona protegida e deve-se comprovar que suportam repetidas correntes de raio.

Os para-raios com dispositivo de ionização devem ter sempre pelo menos uma baixada e uma rede de terras especifica para poder assegurar, em qualquer caso – por exemplo se existirem modificações na estrutura – que existe pelo menos um caminho controlado para a corrente e que a rede de terra tem a resistência adequada.

A combinação da proteção convencional e para-raios com dispositivo de ionização reúne todas as vantagens aumentando a segurança:

– Ponto de impacto controlado.

– Repartição uniforme da corrente.

– Existência de pelo menos um condutor de baixada e redes de terras medíveis.

– Cumprimento das normas.