Campos de golfe: perigo de trovoadas elétricas

Existem dois dados muito relevantes a ter em conta ao avaliar o perigo relativo aos raios em campos de golfe. O primeiro é que a média anual de mortes em campos de golfe, em todo o mundo, é de 13 pessoas sendo a maioria originadas por descargas elétricas provocadas por trovoadas. O segundo dado é que, nos Estados Unidos, 5% do total de mortes provocadas pela queda de raios aconteceram em campos de golfe.

Segundo um estudo americano realizado por National Lightning Safety Council, as mortes provocadas por raios nos Estados Unidos entre 2006 e 2018 ascenderam a um total de 369. Este estudo pormenorizado trouxe à atenção percentagens a valorizar para melhorar em prevenção e proteção contra as descargas atmosféricas.

O estudo, levado a cabo pelo especialista John S. Jensenius, reflete como as atividades de ócio ao ar livre contribuíram com 62% do total das mortes por descargas elétricas, mesmo que o desporto, dentro das atividades, represente apenas um total de 13%.

A estatística seguinte mostra a divisão das mortes relacionadas com o desporto. O futebol representa o desporto com maior número de mortes por queda de raio (38%), seguido do golfe com 31%.

Por isso, a maioria dos campos de golfe desenvolveram uma série de diretrizes sobre como atuar em caso de tempestade elétrica. Clubes como Wimbledon ou Wells ou até a USGA(United States Golf Association) concordam que, em caso de trovoada, não pode haver ninguém no campo exposto ao perigo e recomenda-se a procura de um abrigo. Investigações recentes demonstram que, em campos de golfe, produzem-se tantas mortes de pessoas a jogar como de jogadores à procura de esconderijo, porque o aviso não chega ou chega demasiado tarde.

O Guia para a Organização de uma Competição de R&A Rules Limited, em vigor desde 1 de janeiro de 2009 e revisto em janeiro de 2012, especifica no seu capítulo 6.8 “Inclemências do Tempo e Suspensão do Jogo” o seguinte:

 “Mesmo que o Comité não deva suspender o jogo se não for completamente necessário, é da sua responsabilidade fazer todo o possível para proteger os jogadores do mau tempo e dos raios, portanto, não deveria correr riscos neste aspeto…”

 “Se o Comité tem informação de que se aproxima uma trovoada elétrica, deverá suspender o jogo antes da sua chegada para dar tempo aos jogadores de se refugiarem e/ou voltar ao clube. Com a finalidade de ajudar os jogadores neste aspeto, convém organizar um procedimento de evacuação. Isto pode supor o envio de transportes a várias zonas do campo antes do mau tempo para transportar os jogadores ao clube quando se suspende o jogo. Também é importante que o Comité avise os espetadores da chegada de uma trovoada…”

Grade parte dos artigos que estudam o perigo das trovoadas nos campos de golfe já sugerem que o melhor é o conhecimento do perigo antes deste acontecer, porque no momento em que os raios já são visíveis, o perigo já é real. A regra 30/30 não é segura em nenhum caso.

Dentro da Guia para a Organização de uma Competição de Rules Limited, encontramos também um apartado específico denominado: “ANEXO H- Conselhos de segurança em caso de raios, suspensão do jogo e plano de evacuação de campo.”

Conselhos de Segurança em Caso de Raios segundo R&A:

Procure:

  • Um edifício fechado e grande.
  • Se não houver um edifício fechado, um veículo, como um carro ou uma furgoneta são alternativas adequadas.
  • Se não existe nem edifício nem veículo, dirija-se para a zona com menos elevação.

Evite:

  • Objetos altos como árvores e postes.
  • Pequenos abrigos para a chuva e para o sol.
  • Grandes espaços abertos, zonas molhadas ou arvores elevadas.
  • Todos os objetos metálicos como tacos de golfe, carrinhos, carros de golfe, vedações, maquinaria elétrica e de cuidado do campo, linhas elétricas.

Esta sugestão não vem apenas de estudos, e já muitos campos instalaram sistemas de deteção local de trovoadas que permitem avisar com suficiente antecipação, e assim, aplicar as medidas preventivas necessárias tanto para os jogadores como para o pessoal do campo. Porque, como disse o Dr. Glen Couchman, especialista em feridas nos campos de golfe: “…possivelmente nenhum destes problemas médicos acontecerá no teu campo, mas, se acontecer, uma atuação prévia ajudará a minimizar as consequências.”

Principais vantagens de dispor de um sistema de alerta prévio para a prevenção de riscos de trovoadas elétricas

A deteção local de trovoadas permite prevenir os riscos laborais e pessoais derivados da queda de raios. A guia de aplicação para determinar a necessidade de um sistema de deteção, assim como os tipos existentes, estão descritos na norma UNE-EN IEC 62793.

O sistema ATSTORM®, sistema especialista local de alerta prévio para a prevenção de riscos de trovoadas elétricas de Aplicaciones Tecnológicas, é capaz de detetar todas as fases da tempestade em tempo real (detetor de “classe A” conforme a norma de referência) e, por isso, é o sistema idóneo para a prevenção de riscos laborais por impacto de raio num desporto tão vulnerável como o golfe.

  • Dupla tecnologia para uma deteção mais precisa:

A monitorização do campo eletrostático permite detetar a formação de trovoadas sobre o campo de golfe com dezenas de minutos de antecipação, tal como a sua dissipação, permitindo otimizar os tempos de paragem.

A monitorização do campo eletromagnético possibilita a deteção de trovoadas elétricas ativas que se aproximam, dentro de um raio de 40km de distância.

  • Tecnologia totalmente eletrónica e sem partes mecânicas moveis: conseguem assim evitar-se obstruções, desgaste, avarias e manutenções.
  • Monitorização ininterrupta, garantindo a correta recolha de informação e supervisão permanente por um equipamento altamente qualificado.
  • Sistema especialista: melhoria contínua dos seus algoritmos, aumentando a sua adaptação às características da sua localização e em consequência dos rendimentos dos alarmes.
  • Sistema de alerta e gestão flexíveis: dispõe de uma App com alertas push em dispositivos móveis para um controle instantâneo de risco por queda de raio no campo, permitindo através de um portal web privado que o utilizador possa visualizar o estado de risco em que se encontram as suas instalações e tomar as ações preventivas necessárias.

Dispõe de um sistema de correios eletrónicos e um sistema de automatização mediante módulos de relés que possibilita a ativação/desativação dos sistemas de alarme em todo o campo, sirenes, sinalizações, etc. Dotando assim de uma flexibilidade total a gestão dos avisos em tempo real para que todos os jogadores e trabalhadores estejam informados.

  • Sistema de alimentação autónomo: as estações de medida contam com placas solares para a sua total autonomia, além de baterias integradas, e fornecimento adicional AC que atua como sistema de reserva assegurando a operação contínua.

Se quiser saber mais sobre o detetor de trovoadas ATSTORM® para o seu campo de golfe, pode entrar em contacto connosco ou inscrever-se numa das sessões informativas de Aplicaciones Tecnológicas dirigidas a profissionais do setor.