Quais são os efeitos de um raio sobre as estruturas e as linhas de serviços?

Nas Aplicaciones Tecnológicas somos especialistas na realização de estudos e projetos para a proteção de estruturas e edifícios perante os impactos de um raio. Mas, que aconteceria se estes não tivessem para-raios?

A Nota Técnica de prevenção NTP 1.084, publicada pelo Instituto Nacional de Segurança e Higiene no Trabalho, para a prevenção de riscos laborais originados pela queda de raios, descreve entre outros aspetos, quais são os efeitos e as consequências do impacto de um raio sobre as estruturas e as linhas de serviços.

O risco de que um raio impacte sobre uma estrutura depende de vários fatores: a sua altura, o número de raios que caem na zona, se está rodeada de elementos mais altos ou isolada, etc.

Se a estrutura não tem para-raios, o raio impactará, normalmente, no ponto mais alto da estrutura e procurará o caminho à terra de forma incontrolada, através de antenas, estruturas de betão, tubagens ou cabos. Este passo de corrente pode produzir roturas, faíscas (que poderiam dar lugar a incêndios) e danos em pessoas e equipamentos no seu interior. Nestes casos, o perigo aumenta se a estrutura contiver produtos tóxicos, inflamáveis ou explosivos, podendo os danos estenderem-se além da estrutura impactada pelo raio.

Além disto, quando a corrente de raio se dispersa na terra, pode produzir lesões graves nas pessoas e inclusive a morte devido à tensão de passo.

Em relação às linhas de fornecimento elétrico e de telecomunicações (telefone, televisão, internet), como penetram nas estruturas desde o exterior, podem introduzir parte da corrente do raio num edifício mesmo que este disponha de para-raios.

Incluir protetores contra sobretensões dentro do sistema de proteção contra o raio torna-se indispensável se as linhas são aéreas e não estão protegidas ou a longitude delas, já que o risco de que o impacto do raio afete as pessoas é maior.

A corrente do raio e as sobretensões nas linhas podem afetar equipamentos de segurança (controles de segurança em elevadores de edifícios muito altos, por exemplo) ou provocar faíscas em zonas com risco de explosão.

Logo, para evitar as consequências do impacto do raio em estruturas e linhas de serviços, é necessário um sistema integral de proteção contra o raio, formado por para-raios, condutores e acessórios de baixada, protetores contra sobretensões e rede de terras adequada.

Se necessitar de mais informação sobre como proteger estruturas, edifícios ou linhas de serviços perante o raio, entre em contacto connosco por aqui.